Entrevista com o Mestre Jan Silberstorff

Chen Ziqiang e Eduardo Molon

por Patrícia Przybylski

Qual é a importância de manter a tradição quando se trata de praticar Taijiquan?
Manter a tradição assegura a dinâmica de um sistema, ou seja, o processo interno de transformação e progresso de cada pessoa não seja prejudicado. Além disso, garante a transmissão completa dos ensinamentos sem perda. Também fornece uma clara relação professor-aluno, tornando mais fácil permanecer o maior tempo possível juntos, para que haja tempo suficiente para transmitir completamente o sistema, sem interrompê-lo antes do tempo. Não pense que a tradição é algo morto. A tradição sabe como renovar-se e desenvolver-se. Porém, a tradição apenas se desenvolve de maneira idealista, e puramente orientada para o objetivo original. Não permite mudanças devidas a modismos, gostos ou desgostos pessoais ou comportamentos orientados para o Eu ou o meu.

Hoje em dia, podemos ver algumas variações no ensino do Taijiquan em Chenjiagou. Elas foram naturais e esperadas?
Sim, isso tem sido natural o tempo todo. Veja, hoje em dia, falamos sobre os estilos Chen, Yang, Wu, outros Wu e Sun como os principais estilos. Mas esquecemos que cada Estilo tem vários dialetos dentro deles, que mesmo dentro de um estilo é possível falar sobre muitos diferentes subestilos. Realisticamente, você pode dizer que cada pai ensinou seus filhos de forma diferente de outro pai no vilarejo. E, cada criança está praticando Taijiquan diferente do seu irmão ou irmã. Não há nenhum problema com isso. Apenas recentemente, quando os alunos não pertencem mais à família, mas estão aprendendo em todo o mundo através seminários, isso se tornou um problema. Porque se você não é criado com o Taijiquan na sua família, você não aprende com a intuição, como as pessoas do vilarejo fazem na sua infância. Devido à falta de tempo, você tem de aprender com explicações. É como aprender uma segunda língua. A primeira você aprende com seus pais e não lembra como aprendeu. A segunda você aprende na escola com explicações. Porém, aqui você não fica com seu professor o dia todo e toda hora, mas apenas algumas horas por semana. Por isso os professores tentam explicar o Taijiquan. As explicações são a forma de transportar o sistema através de seminários. Entretanto, com as explicações, você fica mais tempo sozinho do que com o professor. E, por ser aprendido através de seminários, as pessoas tendem a visitar diferentes mestres, os quais têm uma abordagem distinta e diversas maneiras de ensinar. Em uma família e nos seus primeiros anos, você simplesmente aprende com o seu pai e, mais tarde, talvez, com outros também. Porém, os seminários são tão bons quanto, desde que a estrutura e a gramática do idioma não mudem por muito tempo. É necessário confiar em uma forma primeiro para que possa desenvolver. Mais tarde talvez não seja problema aprender outras maneiras. Todavia, no início, não deve mudar muito. Conquanto diferentes professores ensinem um subestilo, a forma ou o princípio de outra maneira, é melhor ter apenas um caminho por muito tempo, o qual permanece o mesmo até entender o básico. Então, poderá ver o que outros estão fazendo. Caso contrário, é muito fácil perder-se.

O que o aluno genuíno deve almejar em seu treino de Taijiquan? Como aprofundá-lo vivendo uma vida ocidental típica?
Não importa em qual parte do mundo você mora. A prática é sempre a mesma. Não há segredos nem atalhos. Compreenda o princípio corretamente, obtenha suas correções e então: treine, treine, treine. É como um cofre: quanto mais dinheiro você coloca, mais dinheiro você tem. Porém, menos dinheiro pode gastar. Ou seja: quanto mais você pratica, melhor você fica. Porém, quanto mais você pratica, menos tempo você tem para outras atividades. É sempre uma decisão pessoal. Todos nascemos com 24 horas no dia. Como a utilizamos é passo a passo nossa decisão. Novamente: não há segredo no treinamento. Compreenda tudo correto, obtenha suas correções e então: quanto mais treinar, melhor se tornará. Os profissionais permanecem longe de distrações e desvios.

Recomenda-se incluir Tuishou em aulas regulares de Taijiquan?
Penso ser bom também ter dias fixos para “empurrar as mãos”. Não é necessário fazê-lo todos os dias ou tanto quanto a forma. Faça às vezes. Diz-se que Chen Fake treinou “empurrar as mãos” apenas 5% de seu tempo. Também é dito que treinou 10 horas por dia. Sendo assim, ele provavelmente treinou “empurrar as mãos” todos os dias por 30 minutos… 🙂. Taijiquan é uma arte maravilhosa; enriquece a vida, a saúde e a conexão espiritual intensamente, mesmo sem qualquer entendimento marcial. Todavia, mesmo para os que não estão interessados nos aspectos marciais da arte e apenas em Taiji como princípio universal, os exercícios de “empurrar as mãos” de Taijiquan podem ser uma ferramenta muito útil para entender a interação equilibrada e harmoniosa com nossos amados, comunidades e com pessoas que não gostamos tanto. Ensina-nos a lidar com todos de maneira respeitosa de amor e bondade. Ensina como as coisas interagem.

Poderia nos contar um pouco sobre seus estudos de taoísmo e sua relação com o Taijiquan?
Quando cheguei na cidade de Xian e conheci meu primeiro Shifu, Shen Xijing de um pequeno vilarejo bem ao lado de Chenjiagou, ele me apresentou ao templo taoísta de Louguantai e naquele dia ao abade Daozhang Ren Farong, quem é hoje um Huizhang. Louguantai é conhecido como o lugar onde Laozi deixou seu Daodejing. Isso foi em 1990. Assim, desde então, meu treinamento de Taijiquan foi diretamente relacionado aos meus estudos taoístas, porquanto viajávamos muito entre Chenjiagou e Xian, de um lado para o outro. Enquanto estava em Xian, costumava ir a Louguantai para ouvir e estudar com Huizhang Ren Farong. Nas terras de Louguan, há também a primeira seita cristã na China, que criou uma forma única de “cristianismo taoísta”, o que para mim, como um ocidental, claro, era duplamente interessante. Em seguida, meu mestre levou-me várias vezes para Wudangshan e Huashan para aprofundar meu entendimento taoísta. Posteriormente, guiei muitos grupos de viagens estudantis para Chenjiagou e Louguantai, bem como para Huashan e Wudangshan. Depois de mais de 25 anos de estudo, que também incluiu um retiro de um mês por ano por mais de dez anos em um templo budista antigo no Sri Lanka, escrevi meu comentário Daodejing em seis volumes até agora.
Uma vez que o livro Huangtingjing, entregue pela freira taoísta, Wei Huacun da seita Heavenly Masters (Mestres Celestiais), teve uma grande influência para Chen Wangting criar o que chamamos Taijiquan hoje em dia, o Taijiquan é muito baseado em ensinamentos taoístas. Não tanto do ponto de vista das religiões taoístas, mas dos princípios de reforma espiritual e existencial do próprio Daodejing. Um dos meus volumes explica como é possível utilizar a compreensão do Daodejing na sua prática diária de Taijiquan para melhorar sua técnica. Ficará impressionado com o quão profundo isso pode ser. Claro que o Taijiquan é altamente influenciado pelo Book of Change (Livro da Mudança), também o Yijing, que influenciou todas as filosofias, religiões e artes da China. A compreensão de Taiji tanto quanto o conceito de Yin e Yang desempenha um papel importante neste campo e não é coincidência que a arte da família Chen mais tarde tenha sido chamada Taijiquan, por ser decorrência da sua estreita relação com este princípio.

Você acha que a virtude e o Taijiquan andam juntos?
Eu penso ainda mais. Acredito não existir um alto nível real em Taijiquan sem gerar virtude. Claro que também pode atingir algumas habilidades de luta ou saúde no Taijiquan, mesmo com um mau temperamento, se tiver paciência para praticar o suficiente. Mas as habilidades reais e iluminantes são reservadas para os virtuosos. Deixe-me dizer isso em palavras comuns: Luke Skywalker, no final, sempre superará Darth Vader, pois o lado obscuro da força tem muitos apelos para poder perceber os Reinos mais elevados de… no nosso caso, de treino de Taijiquan. Apenas uma mente liberta, esvaziada e compassiva pode entrar aqui. E, por favor, não pense que estas são apenas palavras de uma prática de meditação longe das necessidades da sociedade. Refiro-me não só ao sentido de transformação espiritual, mas ao mesmo tempo da técnica. Quanto mais sutilmente puder mover seu corpo, mais sútil será sua mente. Quanto mais sútil é sua mente, mais altos serão os Reinos que perceberá. Isso melhora não apenas suas técnicas de luta em relação à escuta, compreensão, redirecionamento e liberação de energia. Ao mesmo tempo, a sua virtude crescente especialmente protege-te contra danos, quanto maior for a técnica.

Qual é o futuro do Taijiquan?
Taijiquan se tornará uma arte mundial. Em todo lugar, o Taijiquan será praticado e desenvolver-se-á em um dos sistemas mais inteligentes e altamente desenvolvidos para cuidar do seu corpo e mente. Por vezes, oferecerá aos interessados em seguir um caminho espiritual no caminho das artes marciais, uma maneira intensa e profunda de desenvolver ao mesmo tempo benefícios marciais, para saúde e espirituais. Isso ajudará as pessoas em todo o mundo a encontrar seu lugar em harmonia e equilíbrio entre o Céu e a Terra, pois proporciona uma maneira de valorizar a criação tanto quanto a iluminação e as reúne na totalidade da própria vida, incluindo não-existência, existência e “manifestações”. Isso ajudará a todos a cumprir seu destino.

Poderia deixar uma pequena lição para estudantes que querem aumentar suas habilidades de Taijiquan?
Esvazie sua mente, solte e escute. Siga o princípio e não pare de praticar.